Seja Bem Vindo!

Este site é exclusivamente direcionado ao estudo da língua hebraica e de textos originais do Tanak. Os vídeos e imagens publicados são escolhidos para complementação didática e cultural e não expressam opinião religiosa dos editores. Todos podem participar, desde que com comentários não ofensivos.

Agora estamos com a versão Ler e Ouvir de Salmos em Hebraico no celular. Boa leitura!

Postagem em Destaque

Por que os judeus não comem carne de porco? Uma reflexão espiritual.

Alguns sábios judeus tinham a habilidade de responder uma pergunta com outra pergunta para induzir à reflexão. Assim antes de responder à pe...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Jefté sacrificou a filha? Juízes 11.30-40 (I Parte)


Iremos discutir sobre um texto que traz alguns problemas em sua interpretação.
Trata-se de Juízes 11.30-40 onde Jefté realiza um voto de holocausto que recaiu sobre a sua primogênita.

Jefté era filho de uma prostituta. O seu pai, Gileade, era casado e tinha filhos mais velhos que o repeliram para não ter que dividir a herança com mais um (Juízes 11.2).

Fugido, desprezado e fadado à pobreza por não ter o que herdar, tornou-se um valente e famoso mercenário para poder sobreviver e, provavelmente, praticava delitos pelo grupo de "amigos" que atraiu, chamados de "levianos" em Juízes 11.3.
E por que os anciãos chamaram a Jefté, um bandido, para liderar Israel numa guerra contra os amonitas?

"Por que agora viestes a mim quando estais em aperto?" Números 11.7

Por ser desprezado, sem família e bens, a vida de Jefté e seus companheiros não valia nada, literalmente. No mundo antigo a vida das pessoas valia dinheiro!

Então, segundo a tabela de preços de Levíticos 27.2-8:

homem de 20 a 60 anos ____________50 shekel de prata

mulher de 20 a 60 anos ____________30 shekel de prata

homem de 5 a 20 anos _____________20 shekel de prata*

mulher de 5 a 20 anos______________10 shekel de prata

bebê menino de 1 mês a cinco anos_____5 shekel de prata

bebê menina de 1 mês a cinco anos_____3 shekel de prata

homem idoso acima de 60 anos_______15 shekel de prata

mulher idosa acima de 60 anos_______10 shekel de prata

*José era adolescente e foi vendido por 20 peças de prata ( Gênesis 37.28), ou seja, foi avaliado dentro dessa tabela.

As leis de Levíticos foram registradas bem depois da história de José. Foram mais de quatrocentos anos entre a venda de José por vinte peças de prata e a publicação da tabela pelas leis de Moisés.

Isso quer dizer que as Leis de Moisés foram uma adaptação santa de leis que já existiam e eram praticadas no mundo antigo.

Assim, o Código Hebreu foi feito de leis de outros códigos pagãos moldadas para a santificação de Israel. Isso pode parecer estranho, mas é por isso que foi mantida a Lei do Talião, "olho por olho, dente por dente" porque a lei "do o que se faz de errado se paga na proporção", estava ainda entranhada nas raízes do povo em formação. O povo de Israel precisava de leis para organizar a sua formação, mas elas não poderiam entrar em conflito com os seus costumes diários.


Assim, os sacríficios de animais para agradar aos deuses eram costumeiramente realizados pelos povos do mundo antigo, que acabaram estendendo à prática de sacrifício de crianças. Os primogênitos eram mais valiosos, e eram uma forma sublime de alcançar grandes bençãos.

O D'us de Israel usou o sacrifício e o derramamento de sangue dos povos pagãos para dar lições ao povo recém formado sobre REDENÇÃO.

A primeira grande lição que D'us quis dar à Israel sobre redenção foi a proposta à Abraão de sacrificar o seu primogênito e oferecê-lo em holocausto (Gênesis 22.2-12). A cultura pagã estava tão enraizada nele que não relutou em obedecer, muito menos Isaac, já um rapazinho, fugiu ou lutou contra o pai para não morrer. Os valores morais da época permitiam tal sacrifício sem condenação e D'us tinha que mudar isso, a começar pelos patriarcas, os fundadores da nação.
A mensagem era a seguinte: se os outros deuses obrigam vocês a dolorosamente sacrificar os seus primogênitos no fogo, Eu, o D'us de Israel, dou a opção de subtituir esse sacrifício por um animal macho, sem defeitos, também de grande valor, do seu rebanho.
Essa proposta de Redenção do D'us Único serviu de grande alívio para Israel, e muitos estrangeiros se aliaram ao povo por causa dela.

No mundo antigo era muito comum o hábito de se fazer votos que recaíam em sacrifícios de vidas humanas. Assim, em Israel, não se proibiu a lei do voto, mas passou-se a doar a D'us o valor estimado de uma pessoa (Voto de Holocausto - Levíticos 27.1) segundo a tabela dada acima. Um siclo nas versões cristãs ou um shekel na moeda do texto hebraico, vale cerca de 22,9 gramas de prata.

* em Gênesis 37. 28, usa-se o termo "Kessef", dinheiro ou peças de prata pagas pelos árabes por José. Continua nos dias 3 e 6 de setembro de 2010,
nos links: http://telahebraica.blogspot.com/2010/09/o-que-consistia-o-voto-de-jefte.html
e
http://telahebraica.blogspot.com/2010/09/o-voto-de-jefte-e-ana-conclusao-de.html

terça-feira, 6 de julho de 2010

O juramento "coloca a mão sob a minha coxa" e o Nervo Ciático de Jacó

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano, tendo o diâmetro aproximado de um dedo.
O versículo em questão (Gênesis 24.2):
וַיָּשֶׂם הָעֶבֶד אֶת-יָדוֹ תַּחַת יֶרֶךְ אַבְרָהָם אֲדֹנָיו
"E seu servo colocou a mão sob a coxa ( ierer') de Abraão (seu) senhor."

A palavra coxa יֶרֶךְ
também traduzida para extremo, extremidade ou parte posterior. É o mesmo radical usado em Gênesis 32.33 quando Jacó, lutando com um anjo, teve o nervo de sua coxa (ierer') deslocado.
No caso desse último, o nervo deslocado ("guid ha-nashe") trata-se do ciático, o maior da extremidade inferior, descendo pela parte anterior da perna.


O Nervo Ciático se origina nas regiões lombares (4ª e 5ª Vértebra Lombar) e sacral da medula espinhal. Fornece inervação motora e sensitiva para a extremidade inferior.
A ciática é uma dor na perna devido a irritação do nervo ciático. Essa dor geralmente sente-se desde a parte posterior da coxa até a parte posterior da panturrilha, e pode se estender até os quadris e os pés.
No mundo o antigo esse nervo já era bem conhecido pela sua importância e localização na anatomia humana, tanto que se fazia juramentos por ele. Se lesionado, o homem teria dificuldades de trabalhar, produzir e até ter relações sexuais dependendo da intensidade da dor.

Após o deslocamento de seu nervo ciático na luta contra um anjo em Gênesis 32.33, Jacó teve alguns incômodos:

Sintomas da Dor no Nervo Ciático:
A dor no nervo ciático geralmente afeta um lado do corpo. A dor pode ser sutil, aguda, como uma queimação ou acompanhada por choques intermitentes de dor aguda, começando nas nádegas e se prolongando para baixo por trás ou pelo lado da coxa e/ou perna. A dor no nervo ciático se estende até abaixo do joelho e pode ser sentida nos pés. Algumas vezes, os sintomas incluem formigamentos, dormências , parestesias (baixa sensibilidade) dificuldades de movimentação. Sentar ou tentar se levantar pode ser doloroso e difícil. Tossir e espirrar pode intensificar a dor.

Colocar a mão sob a coxa era uma forma usada para juramento (ver também em Gênesis 47.29, onde Jacó, velho e perto de morrer, pede para José fazê-lo). De acordo com o idioma bíblico as crianças saíam da "coxa" do pai ( Gênesis 46:26 "que emanaram da sua coxa"; Êxodo 1.5 ("almas que emanaram da coxa de Jacó "; Juízes 8:30) daí o termo "coxa" seria um eufemismo para o órgão procriador. Portanto, quem fazia o juramento teria que colocar a mão na virilha ou nas regiões próximas aos genitais do homem com quem ele fazia aliança.

Em algumas circunstâncias a virilidade do homem também era colocada em questão nesse juramento, por esta ser muito considerada no mundo antigo. Homens com muitos filhos eram considerados viris e em alguns casos isso era até mais importante que ter riquezas.

Pela questão cultural, as mulheres estéreis ficavam apavoradas por não poder provar a virilidade de seus maridos, tanto que foi um alívio para Sara quando Abraão teve um filho da escrava egípcia Hagar.

Entretanto esse juramento não tinha apenas conotação sexual, pois a passagem do nervo ciático nessa região e uma provável lesão nele poderia impedir de um homem trabalhar ou andar, o que era também uma grande maldição no mundo antigo.

Assim, a região da"coxa" de acordo com a tradição talmúdica, passou a ser o sinal sagrado da aliança, e o servo tinha que colocar a sua mão próximo a ela assim como em tempos posteriores uma promessa seria feita sobre um rolo de Torá (Shevuot38b; Targum Yonatan;Rashi).

Antes que a parte traseira de um animal possa ser comida, este nervo com todas as suas ramificações, era cuidadosamente removido (Gênesis 32.33). Uma vez que isso é muito difícil de fazer, os traseiros do gado não são usualmente consumidos pelos judeus.

Na luta contra o Anjo de D'us, com o seu nervo lesionado Jacó pode na verdade ter recebido uma benção por causa das referências na Torah do número de "almas que emanaram de sua coxa",
(Gênesis 46.26 e Êxodo 1.5).


Bibliografia:
http://www.vertebrata.com.br/nov_17.php

A Torá Viva; anotado por Rabino Aryeh Kaplan; Ed. Maayanot, 2ª ed.,2003.

Dicionário Português Hebraico e Hebraico Português - Abraham Hatzamri e Shoshana More-Hatzamri - ed. Sêfer