Seja Bem Vindo!

Este site é exclusivamente direcionado ao estudo da língua hebraica e de textos originais do Tanak. Os vídeos e imagens publicados são escolhidos para complementação didática e cultural e não expressam opinião religiosa dos editores. Todos podem participar, desde que com comentários não ofensivos.

Agora estamos com a versão Ler e Ouvir de Salmos em Hebraico no celular. Boa leitura!

Postagem em Destaque

Por que os judeus não comem carne de porco? Uma reflexão espiritual.

Alguns sábios judeus tinham a habilidade de responder uma pergunta com outra pergunta para induzir à reflexão. Assim antes de responder à pe...

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Diferenças entre os nomes El'him(D'us) e elohim (deuses)

http://1br.biz/wallpapers/cachoeiras-9138.jpg
Do início de Gênesis até o capítulo 2.3 , é mencionado somente o Nome El'him
אֱלֹהִיםreferindo-se ao D'us Criador.

Por que um nome tão genérico, que é usado também para deuses pagãos, é colocado num texto introdutório tão importante na Bíblia?

Como já citamos, o termo "elohim" pode se referir no texto hebraico tanto a seres ou poderes superiores (ISamuel 28.13 "vejo deuses subindo da terra") como anjos, juízes, governantes e outros deuses pagãos, quanto ao D'us Único.

Como exemplo, vemos em I Reis 18.24 a palavra "elohim" sendo usada para D'us e para os deuses dos profetas de Baal.
O profeta Elias nos ensina como fazer a distinção:


וּקְרָאתֶם בְּשֵׁם אֱלֹהֵיכֶם
"(E) Chamai pelo nome dos seus deuses ("eloheichem" do radical elohim)

וַאֲנִי אֶקְרָא בְשֵׁם-יְהוָה
e eu chamarei pelo nome YHWH

וְהָיָה הָאֱלֹהִים אֲשֶׁר-יַעֲנֶה בָאֵשׁ*
e será D'us(El'him) quem (asher=certificado, aprovado) responder pelo fogo


הוּא הָאֱלֹהִים
Ele é o D'us

וַיַּעַן כָּל-הָעָם
e respondeu todo o povo

וַיֹּאמְרוּ
e falaram para ele:

טוֹב הַדָּבָר
boa palavra. "


A diferença entre "El'him" e "elohim" é que estes não respondem!
(I Reis 18.26) Podemos dizer que "deuses" não tem verbo próprio porque não agem sem consentimento.

Assim, em Gênesis 1, o que dá Realeza à El'him é o que Ele faz, o Verbo é mais importante que o Nome.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Rosh Hashaná 5771


Nos dias 8 e 9 de setembro serão realizadas as comemorações de um Novo Ano Judaico. Neste ano vou transcrever um trecho de um dos conselhos de Rabi Sir Jonathan Sacks publicados na Revista Morashá, desse mês (Setembro, ano XVIII,2010):

"Usem bem o seu tempo. Nossa vida é curta, muito curta para ser desperdiçada diante da televisão, nos jogos de computador .... "Ensina-nos a contar os nossos dias", diz o Salmista, "para que tenhamos um coração de sabedoria."
Mas um dia em que fazemos algo de bom a outrem não é um dia desperdiçado."

Nessa época os israelitas costumam passar maçãs no mel, para que o ano que se inicia seja tão doce como ele. Assim,

Shaná Tová Umetucá! Um Ano Novo Doce para todos vocês!!!

Prof. Gláucia Vilela.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O que consistia o voto de Jefté? (Juízes11.30)


O judaísmo é uma religião muito preocupada com o acerto dos ciclos naturais do mundo. Isso porque essa é base para a Vida nos ensinos da Torah . Os judeus chamam de "Tikun Olam" ou seja, Ordem do Mundo, o que procura justamente uma ética para organizar quebras de ciclos ou pequenas desordens.

Assim, muitas coisas que os israelitas não fazem, na verdade são porque simbolizam quebras de ciclos da Vida.
Um exemplo?
Eles não misturam nos alimentos leite e carne, porque um simboliza a Vida (sem o leite, os filhotes não podem crescer) e o outro é símbolo da morte (para se ter carne, um animal deve ser sacrificado).

Sacrificar um filho passou a ser um grande erro para os hebreus, pois era a quebra da geração de Vida de uma família provocada por um membro do próprio ciclo. Os habitantes de Canaã faziam isso através de votos e contaminaram alguns de Israel por causa da desobediência:

"Não destruíram os povos, como o Senhor ordenara, mas se misturaram com as nações, e adotaram os seus costumes... sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios. Derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e de suas filhas...." trechos de Salmos 106.34-40.

Perceberam a gravidade desse texto?
Só exite sacrifício de filhos e filhas aos demônios, a D'us jamais!

Para corrigir essa terrível prática no Seu povo Santo, D'us instruiu Abraão a sacrificar o seu único filho (Gênesis 22). Se nos dias de hoje, isso seria um abismo, para Abraão era natural, afinal, era comum sacrifícios de filhos aos deuses! Apesar de crer que Isaque poderia reviver,
esse era o degradante pensamento de toda uma geração, que foi mudado com um novo conceito: o D'us de Israel oferece Redenção. Assim, o rapaz foi substituído por um carneiro trazido pelo próprio D'us (v.22.13), sendo depois fixada a ordem na Lei de Moisés:

"Não haja no teu meio quem faça passar pelo fogo o filho ou a filha..."
Deuteronômio 18.10

O VOTO DE JEFTÉ NO TEXTO EM HEBRAICO

E o voto de Jefté: "qualquer que, saindo da porta da minha casa, me vier ao encontro... esse será do Senhor, e o oferecerei em holocausto." Juízes 11.30-31 e "Ela era filha única." v.34

Já falamos em outras postagens que a Bíblia possui termos linguísticos que não devem ser considerados literalmente, como temos hoje: "Pisar na bola", "Chutou o balde", etc.. Assim temos na análise do termo "oferecer em holocausto" no texto hebraico:

וַיִּדַּר יִפְתָּח נֶדֶר לַיהוָה
"E fez Jefté um voto ("neder") ao Senhor

וַיֹּאמַר:
e disse:

אִם-נָתוֹן תִּתֵּן אֶת-בְּנֵי עַמּוֹ בְּיָדִי.
Se "dado baixa" os filhos de Amon pela minha mão

וְהָיָה הַיּוֹצֵא
a vida (ser) criado

אֲשֶׁר יֵצֵא מִדַּלְתֵי בֵיתִי לִקְרָאתִי
que sair pela porta de minha casa ao meu encontro

בְּשׁוּבִי בְשָׁלוֹם מִבְּנֵי עַמּוֹן--וְהָיָה
na minha volta em paz dos filhos de Amon, e vivo,

לַיהוָה, וְהַעֲלִיתִיהוּ עֹלָה
é do Senhor e o elevarei a Ele em holocausto."


Que texto lindo!!! Não tem nada de sacrifício!

Concluímos que os radicais das palavras elevar e holocausto ("olah") são os mesmos.

Assim, a moça foi "elevada" em holocausto, num termo lingüístico que segue as regras de voto
pelas avaliações da *tabela de Levíticos 27.
*ver post de 12/07/2010

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Os votos de Jefté e Ana (Conclusão de: Jefté sacrificou a sua filha?)


Um voto era uma promessa realizada em termos solenes em que uma pessoa se obrigava a realizar um ato ou abster-se de alguma coisa. Diferente dos dias atuais, era muito comum a realização de votos no mundo antigo e podia ser registrado em uma espécie de cartório. Em alguns casos, havia até multas de 20% sobre o valor da avaliação do objeto prometido, caso a pessoa quisesse fazer o resgate em forma de dinheiro.
Para Israel, após a determinação da Lei Mosaica, a Lei do Voto passou a ter dois principais objetivos:
1. Ensinar ao povo lições sobre o Resgate que só o D'us Único ('Echad) oferecia;
2. Glorificar e enaltecer as bençãos e vitórias que esse mesmo D'us concedia.
Votos precipitados de mulheres podiam ser anulados pelos pais ou maridos: Números 30.6.
Os votos de Jefté e Ana

Levíticos 27.2: "Esta é a lei quando uma pessoa expressa um voto para doar a D'us o valor estimado de uma pessoa."

Esse é o tipo de voto realizado por Jefté, exatamente igual ao realizado por Ana (ISamuel 1.11):

VOTO DE JEFTÉ: "E Jefté fez um voto ao Senhor: Se totalmente entregares os filhos de Amom nas minhas mãos, qualquer um que, saindo da porta da minha casa, me vier ao encontro, voltando eu vitorioso dos filhos de Amom, esse será do Senhor, e o oferecerei em holocausto." Juízes11.11.30-31

VOTO DE ANA: "Ela, com amargura de alma, orou ao Senhor, chorou muito, e fez um voto, dizendo: Ó Senhor dos exércitos, se benignamente atentares para a aflição da sua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha." ISamuel 1.10-11
A diferença é que Ana não mencionou o novilho que deveria entregar para o holocausto no cumprimento do seu voto, mas em I Samuel 1.24-25 cita o dia da entrega do menino:
"Havendo-o desmamado, tomou-o consigo, com um novilho de três anos, um efa de farinha e um odre de vinho, e o levou à casa do Senhor, em Siló....degolaram o novilho, e trouxeram o menino a Eli."

Obviamente, Jefté esperava uma multidão para recebê-lo na volta de sua vitória contra Amom. Talvez imaginasse um servo ou escravo, mas sabia muito bem do risco de ser a própria filha. A tristeza profunda dele foi provocada pelo desmantelamento das suas riquezas nesse voto.
O que acarretaria? Jefté não teve direito à herança junto aos seus pais porque era filho bastardo.Todos os seus bens vieram de suas administrações e vitórias como juiz de Israel. No primogênito se dá a promessa de herança e gerenciamento de todos os bens do pai. No caso de uma filha primogênita, esperava-se ela casar e ter um filho homem para receber o direito de primogenitura. Ao fazer esse voto, Jefté ofereceu em holocausto o que a moça valia: toda a sua herança!!!

Observamos aí, um princípio espiritual no ciclo de heranças na época de consolidação da nação israelita. Riquezas herdadas pelos pais, eram transmitidas aos filhos e passadas às próximas gerações. Como Jefté não havia herdado nada, os bens que acumulou também não serviram de herança para ninguém, voltaram para D'us.

Quanto à moça, tornou-se pobre e impossibilitada de casar. (Juízes11.40)