Seja Bem Vindo!

Este site é exclusivamente direcionado ao estudo da língua hebraica e de textos originais do Tanak. Os vídeos e imagens publicados são escolhidos para complementação didática e cultural e não expressam opinião religiosa dos editores. Todos podem participar, desde que com comentários não ofensivos.

Agora estamos com a versão Ler e Ouvir de Salmos em Hebraico no celular. Boa leitura!

Postagem em Destaque

Jacó: o Grande Empreendedor

Ayin/Shin/Resh A riqueza de Jacó foi planejada pelo próprio. Obviamente, ele teve duas qualidades imprescindíveis para prosperar: generosi...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A melhor tradução de "Eu Sou o que Sou".Êxodo 3.14

   
"Ehie Asher Ehier"אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה
Um dos textos mais reveladores sobre a essência de D'us confronta a eternidade faraônica através de seu Nome.
O texto de Êxodo 3 revela que Moisés, fugido do Egito, apascentava o rebanho de seu sogro próximo à uma montanha no deserto, e que conheceu El'him sob o Nome traduzido como "Eu Sou o que Sou".
A inviabilidade dessa tradução está na inexistência na língua hebraica do verbo "ser" no presente do Indicativo. Assim a cultura ocidental por séculos só consegue entender que D'us simplesmente "é".
Análise dos Nomes de D'us em Gênesis 3
No Horebe identificamos o Nome El'him associado ao lugar físico, ou seja, "montanha de El'him."
הַר הָאֱלֹהִים
Em Êxodo3.2, a revelação visual de um "anjo de YHWH", direciona o Tetragrama ao mundo celestial. מַלְאַךְ יְהוָה
Em Êxodo 3.4 o Tetragrama YHWH é relacionado ao verbo "ver": וַיַּרְא יְהוָה "E viu YHWH"
enquanto El'him ao verbo "chamar" :
יִּקְרָא אֵלָיו אֱלֹהִים מִתּוֹךְ הַסְּנֶה "Chamou El'him de dentro da sarça*"
וַיֹּאמֶר מֹשֶׁה מֹשֶׁה "E disse: 'Moisés,Moisés.'"
Observamos que o Nome El'him aproxima-se do mundo físico, apresentando-se inclusive com o Nome
אָנֹכִי אֱלֹהֵי אָבִיךָ, אֱלֹהֵי אַבְרָהָם אֱלֹהֵי יִצְחָק, וֵאלֹהֵי יַעֲקֹב
"Eu sou D'us (El'him) de teu pai , D'us (El'him) de Abrãao, D'us (El'him) de Isaac, D'us (El'him) de Jacó"
Êxodo 3.6.
O Nome YHWH revela a total transcendência de D'us e por isso foi associado ao verbo "ver". Esta é a visão mais justa e completa de toda a Eternidade (Salmos 113.5)
Os 72 Nomes são mecanismos de aproximação de D'us ao homem. Embora pertençam à mesma Pessoa, revela as inúmeras faces Dele e cada um tem o seu objetivo, mensagem e foco de forma a facilitar o entendimento da essência Divina e sensibilizar a alma humana de Sua presença.
O Nome revelado em Êxodo 3.14 está no hebraico אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה "Ehie Asher Ehier", onde אֶהְיֶה deriva da primeira pessoa no singular do Imperfeito Qal do verbo "hayah", traduz-se "eu serei", sendo o Nome todo traduzido "Serei o que Serei". O termo como Nome Divino, não foi traduzido no Targum** e em algumas transcrições hebraicas. Talvez seja um dos motivos que chegue às nossas versões como "Eu Sou o que Sou" (ou "I am that I am", no inglês) pela ausência de vogais ou dispersão da pronúncia tradicional.
Assim, D'us se apresenta a Moisés nas três dimensões de tempo:
D'us do passado:
"Eu sou o D'us de teu pai, O D'us de Abrãao, D'us de Isaac, e D'us de Jacó." Êxodo 3.6
D'us do presente:
" Tenho visto o sofrimento do Meu povo no Egito. Eu tenho escutado como eles gritam em virtude do que fazem os guardas de escravos, e Eu estou ciente de seu sofrimento." Êxodo 3.7
D'us do futuro:
"Eu Serei o que Serei"
Pela sua Onipresença e Transcendência, D'us habita simultaneamente no passado, no presente e no futuro, por isso o homem é incapaz de alcançá-lo ou vê-lo. Este está preso à sua temporalidade e limitado no seu entendimento do mundo espiritual. Assim, El'him "fala" dentro de uma sarça ardente, pois assim foi capaz de se contrair no tempo presente para que Moisés ouvisse. A tradição judaica chama de "tzimtzúm" essa "contração" amorosa de D'us em direção ao homem.
A "tzimtzúm" deve ser também praticada pelos homens uns com os outros, pois é através dela que se acolhe a presença do próximo.
"Eu Serei o que Serei" ou "Ehie Asher Ehier" denota que D'us tem absoluta existência, e que Ele está fora da realidade do nosso tempo. Segundo os cabalistas, em "Eu Serei", no momento do primeiro impulso da Vontade que iniciou a Criação, tudo estava no futuro. YHWH declara o poder criativo que continuamente sustenta o Universo. D'us estava avisando a Moisés que todo o Seu propósito ali revelado já estava assegurado no futuro.
O vídeo é trecho de Êxodo 3.14 "Eu Sou o que Sou", no lindo filme da DreamWorks, "The Prince Of Egypt"( "O Príncipe do Egito" na versão em português). Conta a história da saída dos hebreus da escravidão de Faraó sob a liderança de Moisés. Vencedor do Oscar em "Melhor Música Tema" com "Whem you Believe", foi traduzido em diversas línguas. 
Reparem na "voz" de D'us quando fala à Moisés nas duas versões. Tem dominância a tonalidade masculina, acompanhada por um leve sussurro feminino. Foi um maravilhoso e polêmico detalhe bíblico de Gênesis 5.1 lembrado pela direção e quem sabe discutido por nós mais tarde...
Outro detalhe, a Torah não revela que Moisés conseguiu tocar na sarça, mas quem lê e estuda tem a liberdade de peneirar essas pequenas adaptações e desfrutar do filme na sua totalidade.

Observações:
Um grande desafio foi lançado em Êxodo 3. Os deuses egípcios dos antepassados, que influenciavam o presente, numa terra fértil contra o D'us cuja essência já vivia no futuro, numa montanha do deserto.
*sarça de סְּנֶה de "seneh" pode ter dado origem ao topônimo "Sinai", é uma planta espinhosa do gênero das acácias, o mesmo conhecido no Brasil como "jurema". "Seneh" pode ser associada a "shittim", planta citada várias vezes no Tanach como acácia.
**Targum (do Hebraico תרגום , no plural targumim) é o nome dado às traduções, paráfrases e comentários em aramaico da Bíblia hebraica (Tanach) escritas e compiladas em Israel e Babilônia, na época do Segundo Templo até o início da Idade Média. Foi utilizado para facilitar o entendimento aos judeus que não falavam o hebraico como língua mãe, e sim o aramaico. Os dois targumim mais conhecidos são o Targum Onkelos sobre a Torah e o Targum Jonatã ben Uziel sobre os Nevi'im (profetas).
Bibliografia
1.A Torá Viva - O Pentateuco e as Haftarot - Anotado por Rabino Aryeh Kaplan- Editora Maayanot;
2.Tehilim - Salmos Tradutores: Adolph Wasserman & Chaim Szwertszarf; McKlausen Editora; RJ.
3.Dicionário Português Hebraico e Hebraico Português - Abraham Hatzamri e Shoshana More-Hatzamri - ed. Sêfer
4.Dicionário Hebraico-Português&Aramaico-Português, Sinodal Vozes, 4ª edição, 1994.
5.Cabala, O Mistério dos Casais -Segredo dos encontros amorosos/ Paulo Blank, Rio de Janeiro: Relume, 2005.

17 comentários:

  1. Olá!
    O Termo ''Deus'' só aparece a partir da Vulgata Latina, no século quarto, depois da fundação da Igreja Católica por que será?
    Anteriormente, temos o seguinte:
    Hebraico original: Elohim, Eloah, e El
    Aramaico (Peshitta - século 2 AC): Alaha
    Grego (LXX - século 2 AC): Theos
    Minha dívida é: Por que a Igreja Católica escolheu o termo "Deus"?

    ResponderExcluir
  2. O termo "D'us" provavelmente é a versão latina de "Theos" oriundo das traduções do Novo Testamento, escrito originalmente em grego nos primeiros séculos. Assim, ao editar os primeiros textos da Vulgata, o biblista São Jerônimo pode ter sido influenciado pelas traduções gregas da Septuaginta e do Novo Testamento que tinham como objetivo contextualizar e levar ao povo a compreensão da Bíblia.
    A origem de "Theos" ou "teós",alguns dicionários etimológicos citam ser da cultura grega, pois "deus" vem do antigo "dius", que vem do grego "dios" que é o genitivo de "Zeus" (Júpiter).Mas essa última é uma teoria que ainda não confirmei pois as origens etimológicas de uma palavra devem ser confirmadas por várias correntes para evitar erros.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Muitos dos termos que costumamos empregar ao nos referirmos a temas como judaísmo e espiritualidade chegaram a nós através de traduções e possuem uma carga de subjetividade quanto ao seu significado e seus objetivos. Isso afeta não somente a quem se aproxima da Sabedoria de Israel através de textos traduzidos, mas também chega a um nível ainda mais profundo, deformando nossa percepção do judaísmo. Em outras palavras: Acostumamo-nos a avaliar e interpretar a sabedoria de Israel de acordo com parâmetros estranhos à tradição judaica. Termos tão familiares como "Religião", "Deus" e "Alma", a partir dos quais surgem às discordâncias entre os defensores da "Religião" e dos chamados "laicos", são conceitos estranhos ao judaísmo. Tais conceitos baseiam-se em traduções simplistas e errôneas que dividiram os homens e criaram confusão em nosso mundo espiritual. Por exemplo, a palavra "Deus" deriva do latim Deus, que, por sua vez, provém de Zeus, divindade da mitologia grega, filho de Cronos, "Deus" do tempo. Isto dificulta nossa compreensão e deforma nosso conceito da realidade, já pretende definir a base e objetivo da Torá de acordo com uma lógica humana limitada pelo espaço e pelo tempo. O vocábulo "Deus" é tradução inexata das noções originais hebraicas. A Igreja Católica escolheu o termo "Deus”
    porque o imperador romano era conhecido como o "Pontifex Maximus", uma espécie de sacerdote que fazia a ponte entre os homens e o panteão de deuses romanos. Ao criar a sua religião semi-bí¬blica, Constantino manteve esse título, e a adoração a "Dyeus" foi sincretizada com a adoração ao Elohim dos hebreus, percebe? É bem por aí¬... A opção de traduzir por "Deus" os termos "El" e "Elohim" foi feita por Roma, quando da produção da Vulgata. Sinceramente, nem seria, do ponto de vista linguí-stico, a melhor opção, pois acabou com todo o sentido dos termos "El" e "Elohim". Por fim, gostaria de encerrar dizendo que eu entendo que a maioria das pessoas chama a YHVH de "Deus" por ignorância, e que Ele olha para a sinceridade do coração. Mas, temos a responsabilidade de agirmos para com Ele em kedushah (santidade), e creio que o libertar-se dos laços nefastos de Roma é parte fundamental dos planos de YHWH para o Seu povo nos últimos tempos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Anônimo.
    Gostaria de reforçar que não está confirmado que a palavra "D'us" veio realmente do latim e que por sua vez veio do grego Theos de Zheus.Sabe por que?
    Porque essas línguas não são tão antigas quanto as línguas semíticas, e estas fazem parte do grupo dos primeiros escritos achados na Arqueologia.O fenício,o árabe e o hebraico estão no grupo das línguas escritas derivadas do grupo semítico. Assim, D'us, pode ter sido uma variação linguística de "Divino" que pode ter variado do semita "din" que significa "Justiça", "Lei",ou de "devir", de "Santuário"
    Portanto, não concordo quando dizem sempre que palavra tal ou tal no Português provém do Latim ou do Grego. É uma informação muito limitada quando se sabe que existiram línguas muito mais antigas que influenciaram e construíram as nossas palavras.
    Muito obrigada pela participação!

    ResponderExcluir
  5. Boa Tarde!
    Não existe a palavra “religião” em toda a Torá.
    Significa isso que a palavra “religião” não é aplicável ao judaísmo?
    Seria o mesmo caso da palavra “judaísmo” (em hebraico, Yahadút “iaadut”) יהדות que em nenhum lugar da Torá ela é encontrada? Por quê?

    ResponderExcluir
  6. Bom dia!
    Não existe a palavra "religião" em toda a Torá.
    Significa isso que a palavra “religião” não é aplicável ao judaísmo?
    Seria o mesmo caso da palavra “judaísmo” (em hebraico, Yahadút “iaadut”) יהדות que em nenhum lugar da Torá ela é encontrada? Por quê?

    ResponderExcluir
  7. Olá Anônimo, a palavra "religião" vem da latina "religare" e não de fontes bíblicas que são semíticas e gregas. Numa explicação simples,(pois a palavra é complexa) ela define as diferentes formas e ideologias que o homem usa para se religar a D'us ou ao mundo espiritual. Não existe uma religião e sim várias religiões, vários meios que o homem usa para cultuar, cada uma com a sua sabedoria.O judaísmo é uma dessas religiões, por isso é definição do que nasceu dos princípios da Torah.
    Sobre as religiões orientais, tenho uma observação particular que causam a minha admiração. Elas se preocupam mais com detalhes de nossa vida que são importantes,como orientações sobre a alimentação regrada e a forma de organizar o próprio lar.A sociedade atual tem sofrido muito pelos excessos de alimentos e de coisas acumuladas em casa, causando obesidade,endividamento e cansaço.
    Um grande abraço e seja bem vindo.

    ResponderExcluir
  8. A palavra divino não é de origem hebraica e sim dos sânscrito "deva", relacionar o radical hebraico "dim" com o radical "dev" do sânscrito é tentar cobrir o sol com a peneira. A relação se encurta quando se percebe que a base desse radical se baseia em dois fonemas D (T,Z) e V (U,W) e suas variantes conforme descrito entre parentes. Percebam que divya, devatā, devaputra estão contidas em escritos budistas e hinduístas em sânscrito muito mais antigo que muitos mitos gregos. Percebe-se claramente que divus é uma variante de deiwos que tem a mesma raiz de Dyēus e do cognato Ζευς. Não há como escapar o D-us tem origem no sânscrito e jamais veio do hebraico. Usar esse termo para se referir a YHWH é uma ofensa muito grave.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Iangrel, agradeço a sua participação!
      Quero frisar que uso o termo "pode ser" porque a origem de muitas palavras é incerta, e as variações linguísticas inúmeras. Somente descarto a origem latina, pois há línguas mais antigas que esta, o sânscrito por exemplo, que tem origem indo iraniana. Concordo com a diferença discrepante dos radicais dv de "din" mas citei também "devir", de santuário. Ah, há línguas mais antigas que o hebraico, não afirmei que tem origem nele, e sim nas de origem semítica.
      A origem de YHWH é totalmente incerta.
      Um grande abraço e continuo contando com as suas observações!

      Excluir
  9. Uma pequena contribuição sobre o significado do nome de Heshem TodoPoderoso
    (Êxodo 3:13-15) 13 Não obstante, Moisés disse ao [verdadeiro] Deus: “Suponhamos que eu vá ter com os filhos de Israel e deveras lhes diga: ‘O Deus de vossos antepassados enviou-me a vós’, e eles deveras me digam: ‘Qual é o seu nome?’ O que hei de dizer-lhes?” 14 Então disse Deus a Moisés: “MOSTRAREI SER O QUE EU MOSTRAR SER.” E acrescentou: “Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: ‘MOSTRAREI SER enviou-me a vós.’” 15 Deus disse então mais uma vez a Moisés:. . .

    ResponderExcluir
  10. As fontes, que formam as palavras, com as quais El'him escreveu a torá, são possuidoras de corpo, que corresponde forma das letras, e estas estão relacionadas a posição do nosso corpo na submissão ao Criador; a alma, que está relacionadas a essência do Criador no homem, ou o sopro de vida, que entra e percorre todo nosso corpo e, finalmente ao Espírito Santo que dá o entendimento e a posição exata de onde a letra e, posteriormente, a palavra. Como ela precisa ser traduzida, localizada e emitir seu significado. É evidente que as instituições cristãs não têm qualquer interesse em informar a verdade por inteiro. Usam a “Torá deles” para enganar, pois ensinam uma doutrina que vem de homens. Traduzem com letras de homens. As letras dos homens não têm poder, elas têm ensinamento de homens, tradução de homens e dai por diante. É impossível agradar ao Criador e aos homens. Esforça-te para agradar teu El'him falando com ele na linguagem dele, qual seja, lendo a Torá em hebraico, ou buscando uma tradução muito confiável. O nome do Criador não pode ser profanado.

    ResponderExcluir
  11. As fontes, que formam as palavras, com as quais El'him escreveu a torá, são possuidoras de corpo, que corresponde forma das letras, e estas estão relacionadas a posição do nosso corpo na submissão ao Criador; a alma, que está relacionadas a essência do Criador no homem, ou o sopro de vida, que entra e percorre todo nosso corpo e, finalmente ao Espírito Santo que dá o entendimento e a posição exata de onde a letra e, posteriormente, a palavra precisam estar justapostas. Como ela precisa ser traduzida, localizada e emitir seu significado. É evidente que as instituições cristãs não têm qualquer interesse em informar a verdade por inteiro. Usam a “Torá deles” para enganar, pois ensinam uma doutrina que vem de homens. Traduzem com letras de homens. As letras dos homens não têm poder, elas têm ensinamento de homens, tradução de homens e dai por diante. É impossível agradar ao Criador e aos homens. Esforça-te para agradar teu El'him falando com ele na linguagem dele, qual seja, lendo a Torá em hebraico, ou buscando uma tradução muito confiável. O nome do Criador não pode ser profanado.

    ResponderExcluir