Seja Bem Vindo!

Este site é exclusivamente direcionado ao estudo da língua hebraica e de textos originais do Tanak. Os vídeos e imagens publicados são escolhidos para complementação didática e cultural e não expressam opinião religiosa dos editores. Todos podem participar, desde que com comentários não ofensivos.

Agora estamos com a versão Ler e Ouvir de Salmos em Hebraico no celular. Boa leitura!

Postagem em Destaque

Por que os judeus não comem carne de porco? Uma reflexão espiritual.

Alguns sábios judeus tinham a habilidade de responder uma pergunta com outra pergunta para induzir à reflexão. Assim antes de responder à pe...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Jefté e os 42 mil mortos de Efraim


Confirmando a numerologia dos 42 rapazes que foram mortos por zombarem de Eliseu, no Tanakh vemos a repetição desse número em outra situação de julgamento divino.

A liderança de Jefté sobre Israel foi questionada pela tribo de Efraim (Juízes 12.1-7), apesar do Espírito do Senhor já tê-la confirmado antes da vitória dos israelitas na guerra contra os amonitas (Juízes 11.29-32 e 33). A contestação foi reforçada pelo fato de Jefté ser filho de uma prostituta, e não ter direito a nenhuma herança. Após ser expulso de casa, ele foi morar com homens levianos na terra de Tobe (Juízes 11.3), como David, que fugiu de Saul se escondendo nas cavernas de Adulão, formando um exército de "homens endividados e de espírito desgostoso"(I Samuel 21.1-2).

A severa repreensão de D'us deveria se propagar como uma mensagem universal, representada pelo número quatro. ("os quatro cantos do mundo", ou "aos quatro ventos"). Todos teriam que respeitar Jefté como juiz e, no caso dos jovens mortos pela ursa, a liderança espiritual do profeta Eliseu.

O número dois representa a dualidade pecaminosa de Efraim (pois sabiam sobre o Bem, mas realizaram o Mal) que após a vitória de Jefté e seus homens, abriu guerra contra eles.

"...e caíram de Efraim, naquele tempo quarenta e dois mil." Juízes 12.6

O que acontece quando se questiona uma liderança levantada por D'us em Israel?

Todos os que contestaram severamente uma liderança espiritual em Israel, como no caso dos 42 jovens mortos pela ursa, foram punidos com morte. Caso de Miriã, que contestou a liderança de Moisés (Números 12.2). Não foi morta, porque este intercedeu por ela (Número 12.13); o povo reclamou também contra Moisés por não haver carne e alimentos do Egito no deserto (Números 11. 4 e 5, e condenados com praga em 11.33). A murmuração contra Moisés e Arão em Números 14.2 e a repreensão em morte e pestilência em Números 14.12 impedida pela intercessão de Moisés em Números 14.18-19, mas condenados em Números 14.23 a não conheceram a Terra Prometida.
A rebelião de Coré, Datã e Abirão engolidos pela terra em Números 16.32-33. A rebelião de Seba contra o rei David em II Samuel 20.1 que foi condenado à morte com a ajuda de uma mulher "e cortaram a cabeça de Seba", II Samuel 20.21-22. A maldição de Simei contra David em seus tempos difíceis, II Samuel 16.5-6 condenado à morte em I Reis 2.36-46 por desobediência ao rei Salomão.


Fonte:
The Holly Scriptures, The Society For Distributing Hebrew Scriptures, England.
Dicionário Português-Hebraico e Hebraico Português, A. & S.Hatzamri, Sêfer, 2007.
Numerologia Judaica e seus Mistérios - David Zumerkorn, revisado por Rabino David Weitman, Ed. Maayanot,SP, 2005.


Gláucia Vilela

3 comentários:

  1. Estou maravilhado com esses estudos de alto nível.Meus parabéns ! descobrí a "Tela Hebraica" por acaso e todo dia estudo através dela. Muito obrigadO por suas publicações.
    (acnicolau@oi.com.br).
    Antonio Carlos Nicolau SHALOM

    ResponderExcluir
  2. Professora, gostaria aprender mais e mais, é muito enriquecedor este estudo, Mas gostaria de ir mais afundo neste estudo:theoshekinahfire@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Tela Hebraica tem estudos profundos. Parabéns. Que possam continuar em constantes atualizações e publicações para enriquecer estudantes e demais pessoas interessadas.

    ResponderExcluir